Francisco de Almeida

Francisco de Almeida

[Francisco de Assis Rodrigues de Almeida]

Crateús - Ceará, 1962

Xilogravador

A xilogravura “Os quatro elementos”, com quase 20 metros de comprimento e 1,50 m de altura, é a maior xilogravura do Brasil, alguns chegam a dizer do mundo. Francisco de Almeida define a xilogravura como uma técnica fascinante de onde emergem inúmeras possibilidades. E o artista cearense tem o dom de extrair o máximo, e o melhor, desse processo que utiliza a madeira como matéria-prima.

Etimologicamente, a palavra xilogravura é composta por duas expressões do grego: xilon e grafó, que significam madeira e gravar ou escrever, respectivamente.

A soma desses termos resulta em uma gravura feita com matriz de madeira, desenhada em um processo arcaico e similar a um carimbo, preservando sua essência e raízes culturais. No Nordeste, uma cultura ainda mais forte pela sua associação à literatura de cordel.

Desde o século XIX, as ilustrações são utilizadas nas capas dos folhetos. Inclusive, no Brasil, a xilogravura é originária das oficinas tipográficas vinculadas à literatura de cordel, cujas raízes remontam aos cantadores nordestinos, o que fez florescer por aqui toda uma plêiade de xilógrafos criativos.